Banner juvino publicidade

Rondônia

Luta! 09/11/2018 14:41 Fonte: Folha do Sul Online

Após lutar contra as drogas e morar nas ruas, jornalista vilhenense decide se internar em clínica de recuperação

Quevedo deixou aviso para quem também enfrenta o drama da dependência química

O jornalista Mario Quevedo, uma das figuras mais conhecidas de Vilhena, resolveu revelar, em seu perfil no Facebook, o drama que vem vivendo, e ao mesmo temo, anunciar uma decisão radical: internar-se numa clínica para dependentes químicos. Ele deixa a cidade nesta sexta-feira, 09, com destino a Pimenta Bueno, disposto a permanecer na Comunidade Terapêutica Vinde, pelo tempo que for necessário para se recuperar.

A luta de Quevedo contra as drogas é antiga: na bebida, ele diz ter iniciado aos 12 anos. Pouco tempo depois, experimentou maconha e engatou uma sequência de consumo de drogas mais pesadas. “Consumo crack há 22 anos. Ninguém dura tanto tempo fumando a pedra”, revela, com certa tristeza.

O problema do comunicador era conhecido, até porque algumas de suas peripécias movidas a entorpecentes foram divulgadas por ele mesmo. A situação se agravou, no entanto, após a morte da mãe, a servidora pública Roseli Bond, no ano passado. “Sempre que eu fazia uma bobagem, sabia que tinha para onde correr: a casa da minha mãe”.

Nos últimos 40 dias, Quevedo está morando na rua. Literalmente. Já dormiu na rodoviária e em prédios abandonados, muitas vezes convivendo com pessoas que, como ele, também lutam contra o vício. “Nunca tive medo de morrer. Assim como minha mãe, minha preocupação era viver jogado pelas ruas. Exatamente o que está acontecendo agora”.

Leitor voraz, dono de um talento inegável para a escrita e repórter com faro para notícias, Mario resolveu se tratar após ler, por acaso, uma entrevista do ex-jogador Walter Casagrande, numa revista que também encontrou sem procurar na recepção do escritório de um amigo. “O Casão disse, na entrevista, que não existe outro meio de combater o problema sem abrir mão de coisas que a gente quer. Entendi na hora a mensagem”, contou, referindo-se ao ex-craque, dependente químico como ele e que hoje é comentarista de TV.

LIÇÃO
Aos 53 anos, 43 deles morando em Vilhena, o jornalista reconhece todos os males físicos, mentais e morais que as drogas lhe causaram. E deixa um recado para quem acha que não enfrentará o mesmo drama persistindo no consumo dos entorpecentes: “Não se enganem: todos vão passar por isso se não conseguirem parar. Infelizmente, levei muito tempo para reconhecer isso. Mas, antes tarde do que nunca...”.

Mais informações também em nossa página no Facebook AQUI


Veja também sobre Vilhena
Cargando...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9842-96737

atendimento@planetafolha.com.br

2016 - 2018: Planeta Folha é uma publicação de Planeta Folha - ME. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização por escrita da direção, mesmo citando a fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato! ou fale diretamente com nossa redação - (Fale conosco pelo WhatsApp)
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo