Banner juvino publicidade

Regional

Prejuizos 06/12/2017 18:55 Fonte: Planeta Folha - por Dr. Ronan Almeida de Araújo

Constantes quedas de energia elétrica em Costa Marques causam revolta entre os moradores

Os moradores da cidade de Costa Marques estão revoltados contra a Ceron (hoje Eletrobrás) e contra e empresa que produz energia para essa companhia. Nessa última madrugada, houve queda de energia elétrica mais de quatro (04) vezes e o pior foi aguentar os pernilongos infernizando a gente e que nos impedem de continuar dormindo. Ficamos à noite sem dormir e parecendo um zumbi andando na casa para lá e para cá prejudicando a nossa saúde e o nosso descanso. A energia elétrica na cidade de Costa Marques foi colocada à disposição da comunidade no ano de 1980. Até 1997, a Ceron era responsável pela produção de energia para Costa Marques. Posteriormente, o sistema foi privatizado e a empresa Guascor passou a ser a responsável pela produção de energia e vendia para a Ceron, que vende para os consumidores. Em 2015, venceu o contrato da Ceron com a Guascor e entrou outra empresa para continuar a produção de energia. Atualmente, a empresa é a Rovema, um consórcio com sede em Porto Velho.

No último dia 01.12.2017, a Eletrobrás fez uma licitação para a construção do linhão ligando a cidade de Presidente Médici até Costa Marques, porém ninguém se interessou pela obra e a Eletrobrás pretende realizar outra licitação para ver há alguma empresa interessada na construção do linhão com extensão de quase 300 quilômetros. Enquanto isso, o povo de Costa Marques vai continuar sofrendo em razão de quedas e mais quedas de energia em nossa cidade, principalmente no período chuvoso que vai até abril, quando naturalmente ocorrem raios que danificam os motores que produzem  energia de responsabilidade da empresa Rovema, enquanto a Ceron é responsável pela distribuição e manutenção da energia na cidade e na zona rural. 

Quando recebemos os boletos para pagamento de energia cobrados pela Ceron, levamos quase sempre um choque diante do aumento do preço praticado pelo governo federal. Somente na venda do gás, houve 67% de reajuste de preço de julho de 2017 para cá. Diante do quadro triste para os consumidores, já devemos planejar a aquisição de geradores de energia e a compra de graveto para cozinhar e fazer nossas refeições, porque pelo andar da carroagem, teremos que voltar a viver como se fosse na década de 1970 quando não existia energia elétrica na cidade e a população usava gerador, lamparina e vela para iluminar suas noites com pernilongo e tudo. 

Outra situação que está causando revolta à população está relacionada à questão da internet e quando mais falamos sobre esse assunto, mais o “capeta” atenta, ou seja, pior fica o sinal de internet “banda curta”. Hoje mesmo acordei às 04:00 da manhã porque não havia energia e lá pelas 08:00 horas novamente mais queda de energia e internet. Estamos ilhados numa cidade que parece não tem autoridade responsável que possa encarar essa situação e enfrentar uma queda de braço com a Eletrobrás e com a operadora OI, responsável pela distribuição de sinal de internet para a cidade de Costa Marques. O prefeito já viajou muitas vezes para Brasília mas não “teve” tempo de chegar até à presidência da Anatel para ver o que está acontecendo com a internet “banca curta” de Costa Marques. O Ministério Público deveria ser o guardião nessa luta em favor dos consumidores para ingressar com ações de obrigação de fazer e não fazer contra a Eletrobrás e a operadora OI pela melhoria da qualidade de energia e internet no município de Costa Marques. A justiça pública atua fortemente em favor dos direitos difusos e aí está um problema que o parquet deveria encarar como questão de honra pela solução do caso porque a paciência do povo se esgotou e a sociedade não suporta mais conviver com essa dura realidade. Chega.

Texto: Ronan Almeida de Araújo é proprietário do site Girocentral e jornalista registrado no Ministério do Trabalho sob o número 431/98/RO.


Veja também sobre Costa Marques
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772

atendimento@planetafolha.com.br

Permitida a reprodução com citação da fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato!
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo