Banner juvino publicidade

Política

Política 24/07/2018 11:04 Fonte: Planeta Folha - Dr. Ronan Almeida de Araújo

Discursos de campanha eleitoral: antes e depois

Dia 15 próximo começa a campanha eleitoral: de deputado estadual à presidente da República. Durante 45 dias, ouviremos vários tipos de discursos dos candidatos. Vou aqui apontar alguns deles. O primeiro discurso é que o candidato vai ganhar, não importa como. Será o mais votado. Ninguém ganha dele. É o mais conhecido, mais “amigo”, mais simpático, mais culto, mais interativo, menos realista. Aliás, esta palavra fica longe dos candidatos em véspera de eleição. Fica tanto empolgado, que começa a vender as coisas de casa, como carro, moto, casa, pedir dinheiro emprestado a 10% de juro por mês, “distribui” portarias para todo mundo interessado em mamar nas tetas dos poderes executivo e legislativo. Agora ficou um pouquinho mais fácil de aparecer na mídia porqu e tem ao lado dos candidatos as redes sociais, como WhatsApp, uma ótima ferramenta do bem e, principalmente, do mal. Se souber usar, conquista. Se não, dança. E feio. Basta entrar nos grupos e começar a proferir palavras preconceituosas e raivosas contra os adversários. Em poucos minutos, um milhão de inimigos. A “indústria” das mentiras, as chamadas “fake news”, estão bombando. O melhor candidato para melhorar a educação, não vai faltar dinheiro para a construção da escola de base de representação política, a sua própria cidade, emendas parlamentares, moleza, vai conseguir todas para resolver os problemas sociais, como construção de estrada bem asfaltada, igual às dos EUA (de concreto), as estradas vicinais serão “melhores” do que o asfalto da cidade, e sgoto a céu aberto nunca mais, e assim por diante.

Depois das eleições 

Se ganhar, o primeiro “investimento” que o eleito faz é comprar uma caminhoneta zerada para desfilar na sua cidade. Chegou a vossa excelência, o ex-agricultor, que a partir de agora, seu nome é deputado, o político que vai revolucionar e trazer as melhores conquistas para o “seu povo”. Três meses de mandato, o nome dele já aparece nas gravações interceptadas pela Polícia Cível e Polícia Federal pedindo propina ao governador eleito para pagar dívidas de campanha eleitoral porque o “caixa” zerou e o nobre “representante do povo” teve de vender tudo para se eleger porque fez tanto compromisso que disponibilizou de todo o seu ativo financeiro (dinheiro) para se eleger. Usou tanto seu cap ital para comprar voto que agora a coisa pegou. Cobrador direto em sua casa (residência) e casa na legislativa. Que vergonha, pensa o “coitado” falido deputado, que o dinheiro que ganha como parlamentar mal dá para comprar montar uma casa de abrigo em Porto Velho para criar uma multidão de cabos eleitorais permanentes. O povo adora esse tipo de parlamentar. Adora pedir comida, carro para levar o paciente da sua cidade para a capital para tratar o enfermo porque ele não pode ficar abandonado senão na próxima campanha o feitiço vira contra o feiticeiro, ou seja, fará campanha contra o seu “ex-líder” político. Para se manter no topo da turma que aparece sempre na mídia, distribui portaria para 04 (quatro) pessoas nos 52 municípios de Rondônia: dois assessores chamados “aspone” criam um site de mentirinha para divulgar as ações do deputado; o s outros dois criam grupos pelo aplicativo WhatsApp para fazer fofocas e provocar os concorrentes, que os deputados chamam de “nobre colega”. Ai de quem se atreva a participar desse grupo criado especialmente para falar bem do deputado. Se entrar no grupo, vai ter que puxar saco. Caso contrário, será expulso porque é invejoso, é do contra, é inimigo do município, etc. Em suma, essa campanha que se avizinha será igual à de todas que tivemos. Nada vai mudar. Há quase 500 anos, o país é a mesmice de sempre. Para não dizer que parece rabo de cavalo: “cresce para baixo”, igual à consciência da maioria dos eleitores. Infelizmente. Até La vista bebe.

Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT/RO 431/98)


Veja também sobre Politica
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9842-96737

atendimento@planetafolha.com.br

2016 - 2018: Planeta Folha é uma publicação de Planeta Folha - ME. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização por escrita da direção, mesmo citando a fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato! ou fale diretamente com nossa redação - (Fale conosco pelo WhatsApp)
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo