Banner juvino publicidade

Política

Politica 06/12/2017 18:52 Fonte: Planeta Folha - por Dr. Ronan Almeida de Araújo

Costa Marques 2017: um ano perdido

Apostei muito que o atual prefeito de Costa Marques poderia iniciar um processo de recuperação e alavancar o município desde o primeiro dia de seu mandato (01.01.2017) e estamos próximo do final do ano e minha avaliação não é nada animadora. De sua equipe que começou a trabalhar com Mirandão, quase todos saíram. A primeira a sair foi a professora Nilva, que conduziu com maestria a secretaria de Educação. Em seguida, o procurador-geral do município resolveu pedir exoneração do cargo depois de 05 meses à frente da procuradoria para cuidar de suas atividades profissionais como advogado. Após veio o Reginaldo, ex-secretário de Obras, que resolveu também demandar e agora criou uma empresa de grãos na cidade. Depois foi a vez de Cláudio, que deixou a controladoria interna e adquiriu um escritório de contabilidade também na cidade. Em seguida, saiu Shermam como secretário de Administração e foi nomeado para exercer outra atividade na própria prefeitura. Por derradeiro, pediu exoneração do cargo Alagones, ex-secretário de Fazenda. E Kréfia, esposa do prefeito ligada  à educação que foi afastada do cargo por determinação judicial.

Uma equipe coesa é igual a uma excelente orquestra sinfônica: age sempre em harmonia. Esse troca-troca de secretário só vai piorando a vida do prefeito Mirandão. Havíamos planejado de que a equipe que iniciou com o prefeito iria fazer reuniões mensalmente para organizar as atividades da prefeitura. Me lembro que em cinco meses de trabalho, fizemos apenas uma reunião, onde apresentei uma proposta de decretar estado de calamidade financeira no município pelo período de 180 dias em razão de que a comissão que fez análise da vida contábil-orçamentária de Costa Marques chegou à conclusão de que o município está com uma dívida de R$ 17.000.000,00 e não havia outra solução a não ser fazer igual a mais de 110 municípios brasileiros que deixaram de pagar suas dívidas por um período de 180 dias, porém minha sugestão foi reprovada e agora o município sofre todas as consequências de ordem fazendária para colocar em dia o paço municipal. 

Um bom prefeito é aquele que escuta, que é disciplinado, que tem agenda própria e dialoga sempre com os seus secretários. Diante da falta de experiência de Mirandão como gestor, caberia à sua equipe dar-lhe todo suporte em planejar e estudar como tirar o município da inadimplência. Sei que ser prefeito de Costa Marques é algo extremamente difícil, porém caso um dia eu tivesse a oportunidade de ser gestor deste município, o primeiro passo a ser tomado era criar um conselho popular composto por servidor, empresários, religiosos, sindicais e comunidades ligadas aos quilombolas, indígenas, pescadores e bolivianos que moram no município para promover reuniões mensalmente no sentido de realizar as audiências públicas que mostrem à população a real situação de todas as áreas de Costa Marques. Mesmo que no início seja pequeno o número de gente interessada em participar das discussões sobre os problemas do município, com o tempo as pessoas vão percebendo que o conselho tem total liberdade para opinar, que suas idéias são colocadas em prática e o gestor seja democrático em ouvir as reclamações feitas pelos moradores, paulatinamente a comunidade vai criando confiança e dando credibilidade na gestão pública, fazendo com que as ações políticas sejam realizadas conjuntamente, ou seja, prefeitura e morador na busca frenética para resolver os problemas do município. 

A pior realidade política no município de Costa Marques é a relação do executivo com o legislativo. Prefeito correto não precisa ter medo de vereador e não deve aceitar chantagem de parlamentar que fica fazendo discurso inflamando na câmara apenas para dizer que é da oposição. Os poderes são independentes. Cada um faz o que a lei permite e de forma sempre transparente. Outro detalhe importante que deve ser ressaltado é que um bom prefeito precisa marcar um dia da semana para atender a população, anotar os pedidos e chamar ao gabinete o secretário que vai cuidar do caso para dar uma resposta urgente ao morador, que certamente vai se orgulhar com a preocupação do executivo em prestar atendimento à reivindicação da comunidade e mesmo que não seja possível a solução do caso de forma rápida, mas o cidadão vai perceber que houve interesse da administração e entenderá as dificuldades enfrentadas pela prefeitura para que os serviços cobrados sejam concretizados a curto espaço de tempo. 

Outra idéia interessante é o prefeito nomear um servidor que more na capital do Estado, Porto Velho, para fazer as diligências nos órgãos públicos, como Tribunal de Contas, Tribunal de Justiça, Assembléia Legislativa, Palácio do Governo, para resolver problemas de interresse da municipalidade. Essa idéia irá trazer uma economia muito grande à prefeitura principalmente com relação às despesas com diárias, que atualmente são assustadoras para uma prefeitura com uma dívida gigantesca como à de Costa Marques. Em suma, há inúmeras ideias renovadoras, revolucionárias e transformadoras à disposição do atual gestor de Costa Marques. Porém, precisa haver coragem do prefeito para colocá-las em prática. Caso contrário, o ano de 2018 será igual ao de 2017: nada a comemorar. 

Texto: Ronan Almeida de Araújo é proprietário do site Girocentral e jornalista registrado sob o número 431/98/R0.  


Veja também sobre Politica Costa Marques
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772

atendimento@planetafolha.com.br

Permitida a reprodução com citação da fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato!
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo