Política

Politica 08/11/2017 17:28 Fonte: Planeta Folha - por Dr. Ronan Almeida de Araújo

População de Nova Brasilândia se revolta com o novo prefeito e buracos tomam conta da cidade

A cidade de Nova Brasilândia é o retrato fiel do descaso das autoridades encarregadas de administrar com eficiência e responsabilidade. Com a posse do Hélio Mendes, empresário do ramo de alimentos, o novo prefeito era a esperança de mudar o quadro que hoje a cidade se encontra: abandonada. Por onde se anda, só vê buracos e, o pior, a prefeitura é incapaz até mesmo de tapar os buracos que parecem valetas de tão grandes que são e causam um perigo enorme à população. Hélio venceu as eleições por uma pequena coligação e sua vitória foi uma das maiores surpresas eleitorais no ano passado, vez que concorreu com uma adversária que liderou uma coligação com quase 11 partidos e apoiada pelas maiores lideranças do Estado de Rondônia. A razão da derrota de Ana Paula foi o fato de ter recebido apoio dos ex-prefeitos Silas Borges e Gerson Neves, este último o pior administrador do município de Nova Brasilândia. Ana Paula é cunhada de Joaquim Rezende, hoje chefe do DER de Rolim de Moura, que foi prefeito do município em 2000 a 2004, considerado um político extremamente honesto e sempre bem assessorado pela sua esposa, Maria Rezende, hoje secretária municipal de Educação, uma das melhores educadores de Nova Brasilândia e sem dúvida extremamente educada e simpática.

Hélio Mendes é um empresário bem sucedido na cidade, mas como gestor é um desastre e a população está arrependida de ter eleito neste político que se comprometeu ser melhor do que seu antecessor, Gerson Neves, do PMDB, que arruinou a cidade e agora o atual prefeito ao invés de fazer diferente, ou seja, arrumar a cidade, está dando sequência às ações do ex-prefeito, virando as costas ao povo e deixando a cidade numa situação deplorável, com ruas cheias de buraco, coleta de lixo precária, obras que não são realizadas e infelizmente o caos administrativo se estabeleceu muito rapidamente na cidade porque a equipe "nova" não atende as reivindicações da população, aumentando a sensação de que não há prefeito no município.

A prefeita que teve grande participação no crescimento de Nova Brasilândia foi Elenai Vidal, uma das mulheres mais honestas que conheci na cidade. Foi uma ótima administradora e talvez se um voltasse à cidade hoje entraria em lágrimas em ver aquele lugar que tanto amou e hoje está parada no tempo, com gente mudando da cidade e procurando outros municípios para se estabelecer, até porque não se encontra emprego fácil no município e para piorar a situação os prefeitos que entram com "garra de fazer a diferença", envelheceram em poucos meses de atuação como gestor diante do quadro financeiro e administrativo que o município vem passando, sem recursos para novos investimentos e com arrecadação fiscal vergonhosa, para não falar quase inexistente.

Mais informações em nossa página no Facebook: CLIQUE AQUI E CURTE A NOSSA PÁGINA! 

Não posso dizer uma verdade na redação deste artigo: Silas foi o melhor prefeito de Nova Brasilândia. Apenas do primeiro mandato. Foi o momento áureo do município de 2008 a 2012. A cidade não tinha 20% de asfalto e Silas mudou a imagem do município, que na época era conhecida como a cidade dos buracos e o maior deles era localizado onde hoje está instalado o Fórum Eleitoral, na Avenida 13 de Maio, Setor 14. Foi sem dúvida Silas fez uma administração que impulsionou o município, que foi interrompido por Gerson Neves, que o povo jamais sentirá saudades.

Hélio Neves pode até reverter a situação de caos que a cidade está enfrentando. Porém, precisará sair da burocracia para administrar com pessoas que têm visão de políticas públicas voltadas às reais necessidades do povo, como por exemplo, conservação e limpeza da cidade, por ser fácil, visto que 90% das avenidas e ruas são asfaltadas, melhorar a coleta de lixo e parar de jogar a culpa em terceiro, porque quem é o responsável por esse serviço é a prefeitura, que pode até contratar uma empresa particular, mas não pode se eximir de cuidar da coleta de lixo, que causa revolta aos moradores, que não suportam a imundice fedorenta que inferniza os moradores que muitas vezes precisam eles mesmos levar os lixos por conta própria ao lixão em razão do descaso da administração.

Nova Brasilândia é um município promissor e precisa de um bom gestor. O atual, se continuar administrando a cidade como agora, certamente vai piorar a situação do município e o povo nem imagina que o prefeito Hélio Mendes venha ser pior do que seu antecessor, uma hipótese quase possível de acontecer diante da paralisia que faz da equipe atual uma espécie de faz-de-conta e incapaz até mesmo de realizar as mínimas coisas que o cidadão pede: respeito, amor pela cidade e ser leal à vontade dos eleitores que maciçamente votaram na esperança de ver mudanças, porém não conseguem dormir diante do pesadelo que atormenta as famílias que não aguentam mais morar em um município onde os gestores se escondem debaixo de um travesseiro de "vergonha" por não conseguir cumprir seu papel de governar com eficiência e responsabilidade. Enfim, a paciência do povo de Nova Brasilândia tem limites e continuará cobrando o início das obras, que até agora só ficaram em promessas.

Texto: Ronan Almeida de Araújo. Jornalista registrado na DRT/RO, sob o número 431.


Veja também sobre Nova Brasilândia Buracos
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772 - (69) 9937-71115

atendimento@planetafolha.com.br

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo