Banner juvino publicidade

Polícia

Suspeita de assassinato 19/11/2017 14:57 Planeta folha

EXCLUSIVO: Madeireiro encontrado morto no interior de Rondônia pode ter sido morto por agentes da SEDAM e PMs; Confira

A nossa reportagem obteve com exclusividades as informações sigilosas que pode ser a peça chave para as investigações da morte de Irineu Xavier da Silva de 54 anos que foi encontrado já sem vida, por volta das 10 horas da manhã da última quinta-feira (16), em um carreador na linha 72, zona rural do município de São Francisco do Guaporé, RO.

Irineu era conhecido pelo apelido de Tatu em toda a região do Vale do Guaporé e trabalhava como madeireiro a vários anos. Filho de uma das famílias pioneiras de Seringueiras, ajudou no desenvolvimento do município e atualmente residia em São Domingos do Guaporé, distrito de Costa Marques.

Acompanhe mais informações em nossa página no Facebook, CLIQUE AQUI!

O corpo de Irineu foi encontrado ao lado de uma cerca de arame liso de joelhos, o corpo estava pendido para trás e sangramentos pelo nariz e boca. Segundo os familiares da vítima, a Polícia que trabalhou na remoção do corpo disse que a Perícia Criminal não foi ao local devido ao corpo não haver sinais de violência.

O corpo foi levado para o Hospital Regional de São Francisco do Guaporé, onde já na presença dos familiares o Médico Dr Devanir, se recusou a liberar o laudo médico sobre a morte de Irineu devido aos rumores de que o mesmo não teria morrido de causas naturais e sim assassinado.

Já no outro dia, sexta-feira, pela manhã, o corpo de Irineu foi levado para a cidade de São Miguel do Guaporé para ser submetido a exame tanatoscópico para a identificação das causas reais de sua morte, porém devido ter passado de 24 horas o corpo estava “estourando”, iniciando seu estado de decomposição, o exame não foi feito. O corpo foi enterrado no cemitério de Seringueiras.

O outro lado da história

Familiares da vítima procurou um homem que estava junto de Irineu na noite em que ele morreu, e ele fez uma revelação avassaladoras sobre os últimos momentos que passou com a vítima. Por medo de represálias e temendo pela vida, o homem não quis que divulgasse sua identidade.

De acordo com a testemunha, ele e a vítima, Irineu foram contratados por alguns madeireiros para trabalharem de “olheiros” na região para que os madeireiros pudessem tirar os caminhões vazios de dentro da FUNAI.

Na madrugada de quinta-feira durante o trabalho, a testemunha em uma motocicleta mais alta e Irineu em uma motocicleta modelo Biz avistaram alguns faróis de carros, e empreenderam fuga, cada um em uma motocicleta, mas como Irineu estava com uma motocicleta Biz, acabou ficando para trás, já a testemunha correu mais e logo na frente se escondeu em uma mata, passado algum tempo depois, duas viatura, uma da SEDAM “Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental” e outra da Polícia Militar passaram pelo local onde ele estava escondido e continuaram o trajeto.

Após a passagem das viaturas, a testemunha, voltou e se deparou com a motocicleta de Irineu caída ao solo com o pneu encostado em uma porteira, ele levantou a mesma, e deu dois gritos para chamar pelo companheiro, mas como não obteve respostas, foi embora do local. Antes de sair, ele contou que ainda colocou alguns ramos atrás da motocicleta para que os mesmos, SEDAM e a polícia não percebessem  a motocicleta.

A testemunha conta ainda, que no local há um madeireiro desaparecido e que pode ter sido assassinado supostamente pelos homens da lei, pois segundo ele, os agentes da SEDAM e os policiais não conseguem entrar nos carreadores feitos pelos madeireiros em meio a FUNAI, onde acabam realizando diligências e ao encontrar algum suspeito, os mesmos realizam sessões de torturas colocando sacolas em suas cabeças dizendo que vai matá-los para que os mesmos confessem algo sobre as extrações de madeiras no local.

De acordo com a testemunha, a prática destas violências são rotineiras e que após os populares terem começados a queimar veículos dos órgãos de fiscalização pelo Brasil, os agentes intensificaram as torturas e violência contra os trabalhadores na região.

Segundo a testemunha, ele acredita que os agentes da SEDAM e os policias militares mataram Irineu por asfixia com uma sacola em sua cabeça, devido ao mesmo estar um pouco acima do peso , ele pode não ter aguentado a tortura e logo vindo a óbito, e que os policias tentaram acobertar a morte dele tentando dizer que foi por morte natural, outra causa que levanta suspeitas é a de não ter feito a Perícia no local do fato e nem feito os exames de tanatoscópia para a identificação de sua morte.

Os contratantes (madeireiros) de Irineu e a testemunha como olheiros, chegaram ser presos próximos à região mas foram liberados na delegacia devido não haver flagrante e os caminhões estarem vazios e fora da reserva.

A nossa redação tentou entrar em contato com o delegado da delegacia de Polícia Civil de São Francisco do Guaporé e o escritório da SEDAM em Costa Marques mas infelizmente não obtivemos êxito.

Relembre o caso: Mistério: Seringueirense é encontrado morto na zona rural de São Francisco, há suspeitas de assassinato 


Veja também sobre São Francisco Seringueiras
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772

atendimento@planetafolha.com.br

Permitida a reprodução com citação da fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato!
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo