Esporte

Copa do Brasil 07/09/2017 23:30 Fonte: Rafael Arruda /Superesportes

Cruzeiro leva gol irregular, mas tem Arrascaeta decisivo e empate com Flamengo no duelo de ida da decisão

Uruguaio sai do banco de reservas no Maracanã e garante bom resultado para a Raposa, que havia sofrido gol de Lucas Paquetá em posição de impedimento

Tudo igual na primeira partida da decisão da Copa do Brasil. Depois de fazer primeiro tempo apagado e melhorar na etapa final, o Cruzeiro superou um erro de arbitragem para obter bom resultado no confronto de ida da final da Copa do Brasil, contra o Flamengo. Aos 30min do segundo tempo, o meia Lucas Paquetá, improvisado no ataque, estava em posição de impedimento quando abriu o placar para o rubro-negro. O árbitro Marcelo Aparecido de Souza e seus assistentes validaram a jogada. Foi aí que o técnico Mano Menezes recorreu ao camisa 10. Arrascaeta entrou em campo aos 34min no lugar de Thiago Nevese precisou de poucos toques na bola para mostrar seu poder de decisão. O drible da lateral para o meio, o passe em direção a Hudson e o sentimento de que sempre é preciso acreditar na falha do goleiro foram determinantes. O uruguaio se aproveitou de rebote de Thiago, após chute de fora da área, e concluiu para as redes: 1 a 1.

A decisão está aberta para o confronto de volta, que acontecerá às 21h45 do dia 27 (quarta-feira), no Mineirão. Na última fase da Copa do Brasil não existe a vantagem para equipes que fazem gols na condição de visitante. Assim, um novo empate leva o duelo para os pênaltis. Para conquistar o pentacampeonato, o Cruzeiro terá de vencer diante de sua torcida, que promete fazer grande festa no Gigante da Pampulha.

No próximo domingo, às 19h, os dois times entram em campo pelo Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro, sexto colocado com 31 pontos, visitará a Chapecoense na Arena Condá, em Chapecó. O Flamengo, que está em quinto, com 35, jogará contra o Botafogo no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Primeiro tempo morno

Os “mistérios” adotados pelo flamenguista Reinaldo Rueda e o cruzeirense Mano Menezes foram desvendados uma hora antes do jogo. No lado rubro-negro, o goleiro Thiago venceu a disputa com o contestado Alex Muralha e o meia Lucas Paquetá atuou improvisado no ataque em função da suspensão do peruano Paolo Guerrero. Na equipe azul, a experiência de Rafael Sobis prevaleceu na escolha do centroavante. Raniel ficou na reserva.

Pela importância de uma decisão de Copa do Brasil, esperava-se um Flamengo x Cruzeiro movimentado e com as duas equipes dispostas a buscar o gol. Mas o primeiro tempo foi morno. Em determinado momento, parecia amistoso – a exemplo da campanha promovida pelos clubes nas redes sociais. A Raposa chutou apenas duas vezes. Na primeira, aos 6min, Thiago Neves arriscou de longe e mandou por cima, sem perigo. Depois, aos 8min, Alisson até teve boas condições para concluir, mas bateu fraco nas mãos de Thiago. No mais, o time celeste falhou muito nas jogadas de transição e errou passes de cinco metros no meio-campo. Sorte é que o adversário também falhava quando recuperava a bola.

Depois de monotonia e sonolência, o Flamengo assustou aos 26min. Em bola levantada por Diego, Willian Arão subiu mais que Murilo e desviou de cabeça. Fábio pulou no canto direito e espalmou. O lance animou o rubro-negro, que passou a controlar a posse de bola, tendo mais de 60% de domínio. Só que essa superioridade não foi convertida em ataques perigosos. O goleiro celeste pegou facilmente os chutes de Berrío, aos 28min, e Diego, aos 37min. O Fla insistiu muito em avanços pelas beiradas e não teve sucesso. A defesa cruzeirense se virou para afastar os cruzamentos e segurou o 0 a 0.

Arrascaeta sai do banco e garante empate

No segundo tempo, as equipes entraram mais ligadas. Apesar de a qualidade técnica do espetáculo não ter melhorado tanto, a disposição era maior. Aos 12min, o Cruzeiro quase abriu o placar. Diogo Barbosa levantou a redonda para a área, Alisson desviou e Thiago fez boa defesa. Já com Raniel no lugar de Rafael Sobis, a Raposa melhorou a troca de passes no campo de ataque. Só faltava arriscar mais nas finalizações.

Já o Flamengo, que seguia insistente nos ataques pelos lados de campo, obrigou Fábio a fazer boas defesas aos 26min. Primeiro, em chute cruzado de Berrío. Em seguida, numa finalização rasteira de Willian Arão. 

O camisa 1 cruzeirense parecia intrasponível. Aos 30min, ele voltou a brilhar, num chute violento de Rever após cobrança de escanteio. Mas no rebote não teve jeito. Lucas Paquetá, que estava em posição de impedimento quando Arão desviou a bola, dividiu com Hudson e levou a melhor. Com gol irregular, o Flamengo enlouquecia sua torcida e inaugurava o placar: 1 a 0.
Mano Menezes tinha a última cartada no banco de reservas. Recorreu a Arrascaeta, camisa 10 do time. Aos 38min, o uruguaio fintou Everton e tocou para Hudson, que arriscou de fora da área. Thiago, goleiro do Flamengo, falhou. Deu rebote quando não podia. Arrascaeta, por sua vez, mostrou-se esperto. Acreditou na jogada, aproveitou-se do vacilo da zaga do Flamengo – que pediu impedimento inexistente – e chutou rasteiro com a meta escancarada: 1 a 1. Num contra-ataque já nos acréscimos, Robinho teve a chance da virada, porém chutou para fora.

FLAMENGO 1X1 CRUZEIRO

FLAMENGO
Thiago; Rodinei (Vinícius Júnior, aos 14min do 2ºT), Réver, Juan e Pará; Márcio Araújo (Cuéllar, aos 21min do 2ºT), Willian Arão, Diego, Berrío e Everton; Lucas Paquetá (Gabriel, aos 37min do 2ºT)
Técnico: Reinaldo Rueda

CRUZEIRO
Fábio; Ezequiel, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Hudson, Robinho e Thiago Neves (Arrascaeta, aos 34min do 2ºT); Alisson (Rafinha, aos 28min do 2ºT) e Rafael Sobis (Raniel, aos 13min do 2ºT)
Técnico: Mano Menezes

Gols: Lucas Paquetá, aos 30min do 2ºT (FLA); Arrascaeta, aos 38min do 2ºT (CRU)

Cartões amarelos: Everton, aos 44min do 2ºT (FLA); Rafael Sobis, aos 10min, Arrascaeta, aos 44min, Raniel, aos 48min do 2ºT (CRU)

Motivo: jogo de ida da final da Copa do Brasil
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro
Data: quinta-feira, 7 de setembro de 2017
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP/CBF)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP/CBF) e Bruno Salgado Rizo (SP/CBF)
Assistentes adicionais: José Cláudio Rocha Filho (SP/CBF) e Ilbert Estevam da Silva (SP/CBF)
Pagantes: 56.135
Presentes: 66.165
Renda: R$ 7.039.230,00


Veja também sobre Esportes Copa do Brasil

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772 - (69) 9937-71115

atendimento@planetafolha.com.br

Planeta Folha nas redes sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo