Banner juvino publicidade

Educação

Educação 07/12/2017 21:55 Fonte: Na Escola

O que aprendi visitando a melhor rede do Brasil

Em Sobral, vi que fazer o básico bem-feito pode garantir a aprendizagem dos meus alunos

Olá, alfabetizadores!

Estou nesse momento em Sobral, no Ceará, com um grupo de nove profissionais envolvidos e comprometidos com uma educação pública de qualidade. São coordenadores pedagógicos, professores e gestores públicos, que, a convite da Fundação Lemann, estão tendo a oportunidade de conhecer a educação desenvolvida no município que detém os melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica do nosso país.

Da capital Fortaleza a Sobral são 274 Km, aproximadamente 3 horas de viagem. Pelo caminho, me emocionei vendo casas simples, redes penduradas em varandas, cisternas nos quintais, cadeiras para fora, conversas entre vizinhos, palmas e palmeiras, a vegetação típica nordestina. Lembrei da escritora Rachel de Queiroz, da saga dos retirantes rumo ao "Sul", de meus alunos da EJA no estado de São Paulo que tinham origem no Nordeste e falavam da saudade de sua terra natal.

Eles foram em busca de trabalho e melhores condições de vida. Muitos voltaram depois de alguns anos, outros não. Agora eu é que faço o caminho no sentido contrário, do Sudeste ao Nordeste, em busca do conhecimento e de aprender com nossos irmãos nordestinos, compreender como a Educação se desenvolve por aqui e o que posso levar para o "Sul".

Não posso deixar de dizer que a Educação em Sobral vai muito bem, obrigada! A mudança e o rejuvenescimento vêm acontecendo no munípio há pelo menos vinte anos, e ainda não acabou. E que transformação essa pela qual eles passaram! De um Ideb de 4,0 nos anos iniciais em 2005 (posição 1366º na lista nacional) para 8,8 em 2015, o 1º lugar do Brasil!

O que chama a atenção, mais do que os resultados, é todo o processo de desenvolvimento da rede e o compromisso com a aprendizagem de todos os alunos. Os resultados são consequência de todo esse trabalho.

A rede municipal de Educação de Sobral conta atualmente com 33.839 alunos, distribuídos em 58 escolas, e tem 125 coordenadores pedagógicos, 1790 professores e 1748 funcionários. Selecionei, abaixo, alguns dos pontos que mais me chamaram a atenção nessa visita, que podem contribuir e inspirar a nossa prática por todo o Brasil:

Fomos recebidos pelo Secretário de Educação do município, Herbert Lima, pela Superintendente Jamille, responsável pela Coordenadoria de Desenvolvimento da Aprendizagem e da Gestão Pedagógica – CODEPE.

Conexão/ Unidade. O discurso educacional é o mesmo e todos falam a mesma língua: o secretário de Educação, coordenadores, professores, funcionários... Todos sabem qual a realidade da rede, suas necessidades, metas a cumprir, como fazer, etc. Visitando as escolas, conhecendo suas práticas em sala de aula, percebemos nitidamente a coerência entre o discurso e a prática. O que eles dizem, fazem. O que planejam, executam, o que avaliam, corrigem e aprimoram. Há um sentimento comum de pertencimento, de orgulho de fazer parte da rede de Sobral.

Professora Terezinha na porta de sua turma do 2º ano: leitura é o foco na Alfabetização. Foto: Anna Laura Schmidt

O básico, mas muito bem feito! Não há aparentemente grandes inovações, seja no uso de tecnologia ou em metodologias. Mas, como diz o secretário Herbert Lima, "o feijão com arroz" é muito bem feito. A alfabetização por exemplo, está consolidada no trabalho efetivo de leitura e escrita, com ênfase em leitura. Há leitura em sala, empréstimo de livros da biblioteca, leitura em casa, entre outras ações. Na escola Emilio Sendim (foto principal), em todas as salas de 1º ano que visitamos, pude ver de perto que todas as crianças já leem com fluência. A professora Terezinha Aragão, alfabetizadora, leciona aulas há 35 anos, participou de toda a transformação da educação no município e atualmente está com duas turmas de alunos em que todos leem com competência leitora.

Participação e assiduidade. Em Sobral, a frequência é acompanhada de perto, diariamente. Se um aluno falta, a escola imediatamente liga para sua casa. Se não houver justificativa e o aluno continuar sem aparecer, a família receberá uma visita. Há um quadro exposto em todas as escolas com o registro diário das frequências dos alunos. Os índices de evasão e abandono são muito baixos em relação a outras regiões do país. Os alunos estão no centro da aprendizagem e todos acreditam que eles podem aprender!

Formação e acompanhamento. Todos os professores, coordenadores e diretores são acompanhados bem de perto, durante o ano todo. São cobrados em seus papeis e suas ações, mas há suporte e formação dos professores. Há cargos para acompanhar as escolas e seus diretores, e outros para dar suporte aos coordenadores pedagógicos. Os diretores, por sua vez, acompanham seus coordenadores e professores, semanalmente. Tudo é registrado em planilhas, com olhares atentos na avaliação, que geram novas ações. Nada fica para depois, para o final do ano. A cada dia da semana, professores se reúnem na chamada "casa de formação", onde são concentradas as principais ações de formação do munícipio. Por exemplo: às segundas-feiras, todos os professores de Educação Física da rede fazem essa formação fora da escola. Há uma cultura de trabalho coletivo, de responsabilidade de todos, de planejamento, formação e avaliação constantes. Como nos disse, a diretora Lira, da Escola Emilio Sendim: "Não há receita, existe um rito, uma estrutura forte, onde se acredita em si, no outro e que a mudança é possível".

Valorização dos professores. Os professores em Sobral são comprometidos com o planejamento a assiduidade, o estudo, entre outros elementos. Percebe-se o envolvimento e a paixão pela educação! Em "troca", eles recebem a valorização adequada. Além dos salários, gratificação extra quando seus alunos apresentam uma boa aprendizagem e bons e resultados. Todos os professores, de todos os níveis e disciplinas, são formados continuamente.

Há muitos outros pontos que fazem o sucesso da Educação em Sobral: a estrutura das escolas, a descentralização dos recursos e serviços, a visão de futuro (o melhor uso das salas de informática), o conhecimento pedagógico dos gestores nas escolas, o processo de avaliação como um todo, mas acho que esttes são temas para outros posts.

A lição que levo desta visita, por fim, é o foco no básico. Ficamos muitas vezes procurando soluções mirabolantes e distantes, que envolvem altos recursos, mas o exemplo de Sobral nos mostra que uma possível resposta para uma Educação de qualidade é o trabalho de pés no chão, que envolve um bom planejamento de toda a rede, formação e avaliação constantes e a valorização dos professores.

Aqui em Sobral, o coração bate forte pela educação das meninas e meninos! E o coração de vocês queridos professores, por esse Brasil afora, como e por que anda batendo?

Abraços diretamente do Nordeste a todos! Até a próxima segunda-feira!

Mara Mansani


Veja também sobre Educação
Loading...
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9842-96737

atendimento@planetafolha.com.br

2016 - 2018: Planeta Folha é uma publicação de Planeta Folha - ME. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização por escrita da direção, mesmo citando a fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato! ou fale diretamente com nossa redação - (Fale conosco pelo WhatsApp)
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo