Banner juvino publicidade

Economia

Confira! 24/05/2017 16:30 Por Lorena Oliva Ramos

Gestão Hospitalar evita erros na administração de instituições públicas e privadas

Cerca de 24 mil leitos do SUS foram desativados nos últimos cinco anos; curso superior específico prioriza conhecimentos sobre o setor

O Brasil perdeu 23,6 mil leitos de internação no Sistema Único de Saúde (SUS) de 2010 a 2015, segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM) com base nos dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde.  A falta de gestão profissional pode estar por trás de parte desses números e cursos de Gestão Hospitalar, como o do Centro Universitário Internacional Uninter podem ajudar, formando gestores específicos para o setor.

“São dados preocupantes e levantam questões como o preparo de profissionais para lidar com problemas administrativos e financeiros enfrentados por essas entidades e propor soluções”, diz Ivana Busato, coordenadora do curso de Gestão Hospitalar da Uninter.

Os profissionais são formados para atuarem em funções administrativas. “Ao contrário do que muitos pensam, o curso não prepara um profissional da saúde, mas sim um gestor, que administra estabelecimentos da área da saúde, com todos os tipos de complexidades, sejam eles públicos ou privados”, explica.

O curso, de formação superior, dura dois anos e meio. Durante esse período, os alunos aprendem sobre empreendedorismo, marketing, gerenciamento, contabilidade, estatística, vigilância sanitária, recursos humanos, matemática financeira, entre outros módulos.  “Um dos diferenciais do curso da Uninter é que o aluno se forma com capacidade para trabalhar tanto em locais menores, com 50 leitos, quanto em grandes hospitais, buscando sempre o equilíbrio financeiro e a excelência na prestação de serviços”, detalha a coordenadora.

Nota máxima no MEC

O curso de Gestão Hospitalar da Uninter recebeu recentemente nota 5 pelo Ministério da Educação (MEC). Em todo o país, é o único na modalidade de Educação a Distância (EAD) a ganhar nota máxima, segundo dados do e-MEC, sistema eletrônico de acompanhamento dos processos que regulam a educação superior no Brasil.

“É a primeira vez que somos avaliados e já alcançamos a maior nota. É um motivo de grande orgulho, mas também uma grande responsabilidade. Precisamos manter o alto nível e formar cada vez mais profissionais capacitados para lidar com os desafios do nosso país”, enfatiza Rodrigo Berté, diretor da Escola Superior de Saúde, Biociência, Meio Ambiente e Humanidades da Uninter.

Entre os critérios avaliados pelo MEC estão a infraestrutura oferecida pelo curso, a qualificação dos professores, o grau de satisfação dos alunos, o cumprimento das normas do MEC, a integração entre as matérias e a capacidade de causar mudanças na sociedade. 


Veja também sobre SUS Saúde Brasil Crise
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772

atendimento@planetafolha.com.br

Permitida a reprodução com citação da fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato!
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo