Banner juvino publicidade

Artigos

Artigos 06/12/2017 19:09 Fonte: Planeta Folha - por Prof. POLINI

Redes sociais no processo de ensino e aprendizagem - por Prof. Polini

“O mundo virtual pode ser uma alegria e diversão para alguns, passatempo para outros, negócios, troca de informações, enfim, mas também há quem diga que é uma grande perda de tempo. É público e notório que as redes sociais viralizaram e já contam com cerca de bilhões de usuários em todo o mundo”.

Alguns contrários outros favoráveis ao uso dessas mídias! Sou favorável a utilização. Como tudo na vida, há vantagens e desvantagens nas redes online, existe um lado bom e um lado ruim. Torna-se indispensável conhecermos as duas faces das redes com sua dimensão, abstração e percepção que nós temos dela. E na Educação, qual a importância das redes sociais no ensino e aprendizagem de nossos estudantes nesta sociedade globalizada contemporânea? Evidente que não há como negar, elas estão presentes no cotidiano dos discentes e docentes, compartilhemos a utilização destas ferramentas para dinamizar o processo educacional atual.

ATENÇÃO: Quer acompanhar mais informações exclusivas? CURTA nossa página no Facebook, CLICANDO AQUI!

Nossos estudantes possuem perfis no Whatsapp, Facebook, Skype Instagram, Snapchat, Twiter, o sucesso é tanto, sem contar com os diversos aplicativos baixados na App Store, Google Play Store e Windows Store e o inseparável PHD “GOOGLE”, que em nossa geração não existia, e sorte de quem possuía a Enciclopédia Barsa. Hoje, estamos conectados e cada vez mais cedo, as redes sociais passam a fazer parte do cotidiano é uma realidade imutável. As redes podem se tornar ferramentas de interação valiosas para auxiliar no trabalho em sala de aula, desde que bem utilizadas. Lembrando que a autonomia de utilização é do Professor no efetivo exercício da docência. Como citei, uns aceitam outros não... Os que aceitam sabem que o contato com os estudantes nas redes facilita para nós professores a conhecê-los melhor proporcionando aulas mais diversificadas e interessantes em consonância facilitando a aprendizagem. 

Sabemos também que ao nos relacionarmos com os estudantes nas redes, já visualizamos  uma questão delicada, ou seja, qual o limite da interação? Devemos ou não criar um perfil profissional para nos comunicarmos? Penso que essa separação não existe no mundo real, pois não deixaremos de ser professor fora de sala, por isso, não faz sentido que tenhamos dois perfis (um profissional e outro pessoal). "Os estudantes querem nos ver como somos nas redes sociais".

Todos nós devemos ter sempre a precaução no uso das redes sociais, somos profissionais da educação, não podemos agir como se estivesse em um grupo de amigos íntimos. “O que não se pode perder de vista é o fato de que, nas redes sociais, estamos nos expondo para o mundo, em um espaço público freqüentado por todos”.  Policiarmos-nos para não comprometer nossa imagem perante os estudantes. Os cuidados são de naturezas diversas, desde não cometer erros de ortografia até não colocar fotos comprometedoras nos álbuns. Finalizo citando de que não existe tecnologia impermeável, e sim os comportamentos inadequados nas redes.

Prof: POLINI

Licenciado em Geografia e História

Especializado em Gestão e Educação Ambiental

Professor da Rede Estadual de Ensino RO.


Veja também sobre Artigos
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772

atendimento@planetafolha.com.br

Permitida a reprodução com citação da fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato!
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo