Artigos

Politica 07/10/2017 22:19 Fonte: Planeta Folha - por Dr. Ronan Almeida de Araújo

Bolsonaro: o Trump brasileiro

No ano que vem, teremos eleições presidenciais. Ainda falta bastante tempo para que saibamos quais serão os candidatos, mas já temos alguns em destaque, como Lula, Bolsonaro, Dória, Marinha Silva, Álvaro Dias, entre muitos que desejam assumir a cadeira do pior presidente que já tivemos até hoje, qual seja, Michel Temer. As pesquisas feitas até agora por vários institutos de confiabilidade, como Datafolha, apontam Lula com 38%; Bolsonaro com 16% e Marinha Silva com 11%. Caso Lula consiga reverter a decisão de Moro que o condenou a quase dez anos de prisão, vez que o recurso está em trâmite no Tribunal Regional Federal da Quarta Região, com sede em Porto Alegre, acredito f ortemente que o ex-presidente tem grandes possibilidades de voltar a ocupar a cadeira mais importante de um chefe da nação, a presidência da República. Para mim, Lula foi o melhor presidente que já tivemos. Por isso, aposto nele novamente, porém se não puder concorrer ao cargo novamente, devido à inelegibilidade prevista na Lei da Ficha Limpa, que foi alterada nesta última quinta-feira pelo Supremo Tribunal Federal, decidindo pela retroatividade da lei, isto é, mesmo aqueles condenados em segundo grau antes de 2010, não poderão concorrer a qualquer cargo no próximo ano, penso que o Partido dos Trabalhadores não tem outra opção na sucessão presidencial, pois em seus quadros atuais não há nenhum político capaz de disputar com chances de ganhar as eleições presidenciais de 2018.

O outro candidato que está fazendo a festa e alegria dos alienados, Bolsonaro, vem fazendo visitas a vários Estados brasileiros, como  no último final de semana na cidade de Belém, Pará, onde foi recebido por uma galera de jovens que apóia o esquadrão da morte, apóia o intervenção militar, apóia a luta contra os gays, os negros, as lésbicas, talvez possa causar algum impacto na sucessão presidencial, desde que tenha apoio político, que hoje quase nenhum partido de influência a nível federal o apóia, mas tudo vai virar em nada sua chance de suceder Michel Temer, porque no nosso país não há espaço para fascista, nazista, anti-democrático, assassino de várias pessoas que lutaram contra o golpe militar de 1964. 

O caso do Bolsonaro é semelhante à pessoa do presidente do EUA, Donald Trump, um psicopata que está causando um grande estrago na maior democracia do mundo, pois os americanos que votaram nele, já estão arrependidos e perceberam que a América sofrerá um retrocesso de 04 anos, com Trump na presidência, assustando o mundo inteiro com essa disputa ideológica idiota com a Coréia do Norte, ameaçando-a com destruição do país devido a lançamento de vários mísseis do líder coreano em mares asiáticos. Impossível a comparação de Obama com Trump: o primeiro demonstrou respeito aos direitos humanos, lutou contra os ricos, apoiou as minorias, ajudou países que estavam em crise financeira e deixou um legado importantíssimo para os jovens americanos, como o maior presidente depois de Bill Clinton, o melhor av aliado até agora. 

Bolsonaro é apoiado hoje por uma leva de pessoas do Brasil porque defende o uso da arma para “evitar” a violência praticada pelos bandidos, que estão aterrorizando o país com o crescimento da criminalidade, principalmente da fragilidade do atual crime político nacional, com notícias de corrupção que virou uma epidemia, na alienação dos jovens brasileiros, que não sabem muitas vezes escrever seu próprio nome, bem como nunca estudaram a história registrada no livro “Brasil Nunca Mais” que retrata com fidelidade a atuação dos militares quando tomaram o poder à força a partir de 1964, com um golpe, apoiado pelo próprio EUA, por políticos da época que não sabiam da importância da democracia para a transformação do Brasil em uma nação reconhecida a nível in ternacional. Muitos jovens da época morreram lutando contra os militares, que deixaram exemplos para que os de hoje repensem nessa idéia maluca de que Bolsonaro será a “salvação da pátria”. Esquecem. Bolsonaro tem as mesmas idéias idiotas de Trump, contra a liberdade de expressão, contra a imprensa, contra os pobres, como, por exemplo, a comunidade quilombola espalhada pelo Brasil afora, que assim se expressou sobre esse povo sofrido e discriminado que vive em vários lugares do Brasil. Disse Bolsonaro recentemente sobre os quilombolas: “O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas”. Não fazem nada eu acho que nem pra procriar servem mais”.  Bolsonaro foi condenado a pagar R$ 50 mil por danos morais coletivos a comunidades quilombolas e à população negra em geral. A condenação foi em virtude de ter usado expressões injuriosas, preconceituosas e discriminatórias com o claro propósito de ofender, ridicularizar, maltratar e desumanizar as comunidades quilombolas e a população negra durante palestra realizada no Rio de Janeiro, proferida em abril deste ano. 

Você jovem, adulto, idoso, etc, que está com claro propósito de dar seu voto a Bolsonaro à presidência do Brasil pense claramente sobre o que esse homem seja capaz em produzir impactos extremamente negativos à população brasileira, que já sofre demasiadamente com sucessivas denúncias de corrupção, comandadas pelo golpista Michel Temer, que ficará na história do país como o maior chefe de ladrões políticos que essa nação já teve.  Bolsonaro representa o atraso e o Brasil não pode mais esperar por mudanças, pois já estamos perdendo as esperanças de que possamos viver em um lugar que posse ser chamado de Brasil. Vamo-nos unir por um país democrático, de liberdade, de respeito a o Estado Democrático de Direito, no avanço das classes minoritárias, os mais pobres, os mais abastados, aqueles que vêm sofrendo com políticas públicas voltadas apenas àqueles que já têm o suficiente para viver muito bem e eternamente,  que são os ricos, que sonegam imposto, que corrompem deputado, senado, presidente, juiz, desembargador, ministros, etc. Nosso sonho é ver o país nas mãos de pessoas que estejam dispostas a investir na educação, principalmente, como a maior ferramenta de mudanças capazes de trazer esperança para vivermos de forma igualitária, solidária, democrática, humanitária, etc. Nossos jovens têm essa responsabilidade e compromisso de entender que são importantes na mudança de comportamento na vida da política nacional, engajados em fazer da nação grande, gigantesca e respeitada em todo mundo.  

Texto produzido por Dr. Ronan Almeida de Araújo. Advogado e jornalista em São Miguel do Guaporé e Costa Marques. 


Veja também sobre Bolsonaro Artigo

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772 - (69) 9937-71115

atendimento@planetafolha.com.br

Planeta Folha nas redes sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo