Artigos

Artigos 07/09/2017 00:11 Dr. Ronan Almeida de Araújo

Sete de Setembro: nada a comemorar - por Dr. Ronan Almeida de Araújo

Amanhã será luto oficial no Brasil. Nada de comemoração. Não temos independência e tão pouco patriotismo, porque os ladrões de gravata mancharam a bandeira do país com lama da corrupção em todos os níveis. Saudade do tempo em que ficávamos seis meses treinando na fanfarra da escola para desfilar no dia, talvez, mais importante do calendário nacional.

Havia motivos e todos entoavam o hino com desenvoltura e grandeza, em razão do amor que tínhamos pelas cores da bandeira, que simbolizam a riqueza da nação. Hoje é diferente: luto por tudo que estamos vendo nos noticiários diários: malas de dinheiro, delação premiada, operação da Polícia Federal quase que diariamente para prender políticos que estão roubando o dinheiro da merenda escolar, "reformas" que só ficam no papel, privilégios dos juízes, benesses aos criminosos que respondem processo em liberdade e com tornozeleira, salário-mínimo que não dá para um casal cobrir suas despesas do mês, aumento de consumo de drogas ilícitas, desemprego crescente, prostituição vergonhosa de menores, educação que é considerada a pior do mundo, etc. Então, pergunto a você? O que vamos comemorar nesse Sete de Setembro? Só o feriado, como dormir mais tarde, ficar mais dia sem trabalhar porque o Brasil é o país dos feriados, assar uma carninha e tomar uma geladinha com os amigos ouvindo músicas caipiras, o que eu mais gosto de fazer quando não há trabalho a executar.

Estamos de luto porque os governantes conseguiram destruir o que existe de mais sagrado em uma nação: amor à pátria. É possível ter amor ao Brasil com o atual quadro político que governa a nação? Naturalmente que não. Amanhã não deveria ser Sete de Setembro, mas sim oito de setembro, ou seja, teríamos que pular esse dia para nem lembrar que existe esse tal "Dia da Independência".

O sepultamento do Brasil foi consolidado por Michel Temer e sua turma das malas cheias de dólares, porque o real para eles não tem valor. A

missa será amanhã às 19:00 horas, na Catedral de Brasília, para a unção dos enfermos, que são os brasileiros que perderam suas esperanças de que um dia poderemos ressuscitar e quem sabe construir novo país com gente disposta a administrar a nação com honestidade e não com bandidagem praticada pelas quadrilhas de gravata e terno comprados com o dinheiro da corrupção. Viva a revolução dos cravos.

Dr. Ronan Almeida de Araújo é advogado e jornalista.


Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772 - (69) 9937-71115

atendimento@planetafolha.com.br

Planeta Folha nas redes sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo