Agricultura

Agronegócios 13/01/2017 13:11 Assessoria

Produção de grãos em Rondônia deve chegar a 1,6 milhão de toneladas na safra 2016/2017

A estimativa da produção de grãos para a safra 2016/2017 em Rondônia é de 1,6 milhão de toneladas. O crescimento deverá ser de 1,8% em relação à safra anterior, ou 21 mil toneladas. A área plantada está estimada em 482,8 mil hectares. Os dados são do 4º Levantamento da safra 2016/2017, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Para o secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani, Rondônia vem mantendo as áreas de produção em constante avanço graças aos investimentos em tecnologia e à recuperação das áreas degradadas com a agricultura por meio da Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF), ou suas variantes, e as ações do governo em prol do aumento da produção.

“Uma ação direta do governo do estado que contribuiu para esse cenário foi a redução da alíquota do ICMS sobre os fertilizantes fabricados em Mato Grosso, que foi de 8,4% para 2,2%. Antes, os produtores do estado tinham que buscar o produto no Paraná e Rio Grande do Sul, e sofriam o impacto do frete. O governo está atento às preocupações dos produtores, buscando garantir melhores condições de vida e renda”, destacou Padovani.

Neste quarto levantamento, para a safra 2016/2017, a produção estimada indica um volume de 1,6 milhão de toneladas, aumento de 1,8% em relação à safra passada. Esse resultado representa um aumento na produção de 21 mil toneladas. Cabe ressaltar que este incremento é influenciado fortemente pela produtividade média das culturas que, nesta safra, recupera-se da influência negativa das condições climáticas na safra passada.

A soja e o milho permanecem como principais culturas produzidas no estado. Os dois produtos correspondem a mais de 90% do que é produzido. A soja deve alcançar uma produção acima de 811,3 mil toneladas. Para o milho, a estimativa é de 640,2 mil toneladas, distribuídas entre a primeira safra (102,4 mil toneladas) e a segunda (537,8 mil toneladas).

Segundo o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Vicente Godinho, esse aumento de área e produção vem da necessidade de incrementar atividade pecuária, pois as pastagens chegam a um patamar que não remunera mais a atividade, obrigando o produtor a buscar alternativas de recuperação que remunere.

“A integração com a lavoura para a recuperação se torna viável para maioria dos pecuaristas fazendo com que mantenhamos um crescimento constante. Outro fator favorável neste ano é o clima, que se continuar teremos a confirmação de uma safra recorde,” explicou Vicente.

Já o arroz e feijão devem alcançar uma produção de 134,6 mil de toneladas e 17,4 mil toneladas, respectivamente.

Vicente destacou ainda que em Rondônia o início do plantio previsto para acontecer na primeira quinzena de setembro sofreu atraso em virtude da escassez das chuvas, mas que o plantio da Safra 2016/2017 se encontra praticamente encerrado.

As áreas de arroz estão situadas em regiões com solos relativamente bem servidos de água das chuvas e as demais de pastagens, que estão sendo sistematizadas, recebendo insumos para a sua recuperação e preparadas para o plantio de arroz.


Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9841-29772 - (69) 9937-71115

atendimento@planetafolha.com.br

Eu curto o Planeta Folha!

Licença Creative Commons
Os conteúdos e dados deste site estão publicados sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional — Atribuir Fonte - Compartilhar Igual..
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo